SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.9 número2PERCEPCION DE VIOLENCIA DE LOS PACIENTES HOSPITALIZADOS EN LOS SERVICIOS DE MEDICINA Y CIRUGIA DE UN HOSPITAL PUBLICONIVEL DE SATISFACCIÓN LABORAL EN ENFERMERAS DE HOSPITALES PÚBLICOS Y PRIVADOS DE LA PROVINCIA DE CONCEPCIÓN, CHILE índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Ciencia y enfermería

versión On-line ISSN 0717-9553

Resumen

DA PENHA SILVEIRA, RENATA CRISTINA  y  DO CARMO CRUZ ROBAZZI, MARIA LÚCIA. ACIDENTES DE TRABALHO ENTRE CRIANÇAS E ADOLESCENTES ATENDIDOS PELO SETOR PÚBLICO DE SAÚDE, RIBEIRÃO PRETO, SÃO PAULO, BRASIL. Cienc. enferm. [online]. 2003, vol.9, n.2, pp.43-55. ISSN 0717-9553.  http://dx.doi.org/10.4067/S0717-95532003000200005.

A existência do trabalho infantil é tão antiga quanto a história do homem. No Brasil esta realidade é mascarada pois, dificilmente o menor acidentado e seus familiares declaram, a vinculação do acidente ocorrido com a atividade laboral, devido a sua ilegalidade. Por outro lado, os profissionais da saúde parecem não perceber o nexo entre o trabalho executado pelo menor e os agravos à saúde que ele sofre. Este estudo teve como objetivo estudar as condições laborais dos menores trabalhadores, que sofreram acidentes de trabalho (AT) e foram atendidos pelo serviço público de saúde de Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. Para tanto, utilizou-se a revisão dos prontuários de menores com AT atendidos no período de um ano, buscando-se identificar o sexo, idade, ocupação, tipo de AT, parte do corpo afetada e agente causador do acidente. Evidenciou -se que de 1589 prontuários de menores de 18 anos, 56 tinham sido identificados como acidentados do trabalho; 64,3% eram meninos com idade variando de 11 a 17 anos e 12,4 trabalhavam como "auxiliares" de vários serviços. 60,7% dos AT eram de acidente típicos, 51,8% dos menores tiveram os MMSS lesados; as causas mais frequentes dos AT foram: contato com materiais corto-contusos (37,5%), seguido pelos acidentes de trânsito (19,7%) e quedas, excesso de exercícios e movimentos rigorosos (8,9% cada um). Concluiu-se que apesar da proibição legal, o trabalho infantil existe na cidade estudada, ainda que haja a sub- notificação acidentária, conforme percebe-se no presente estudo.

Palabras clave : Trabalho infantil; acidente de trabalho; saúde do trabalhador.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Portugués     · Portugués ( pdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons