SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 número33Regenerar el tejido social de la esperanzaEl discurso moderno frente al "pachamamismo": La metáfora de la naturaleza como recurso y el de la Tierra como madre índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Polis (Santiago)

versión On-line ISSN 0718-6568

Resumen

FUENTE CARRASCO, Mario Enrique. A comunalidade como base para a construção deresiliência social à crise de civilização. Polis [online]. 2012, vol.11, n.33, pp.195-218. ISSN 0718-6568.  http://dx.doi.org/10.4067/S0718-65682012000300009.

A esteira da crise do projeto de civilização ocidental tem agravado as desigualdades sociais e alterado os processos homeostáticos da biosfera. Aexpropriação sutil ou violenta de territórios com alto potencial de recursos naturaisé uma astúcia mais do modelo neoliberal para aliviar sua crise estrutural, comoacontece contra os povos indígenas. Essas ações são extremamente perturbadoresda dinâmica da organização social, e do agravamento da injustiça ambiental. Noentanto, vários grupos sociais estão reformulando suas estratégias, não só pararesistir, mas para construir alternativas. O ethos da comunidade (comum), -comoum elemento dos povos que possui ascendência cultural da Mesoamérica- é umaestratégia intercultural indispensável para essas tarefas. A noção de resiliência social é usada como uma ferramenta analítica de tal exploração. Note-se que o graude resiliência das comunidades estão relacionadas com a construção de processosautónomos.

Palabras clave : comunalidade; resiliência; racionalidade econômica; crise.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons