37 56¿MISTERIOSAS? ¿PARA QUIÉN? HACIA UNA DECOLONIZACIÓN DE LA ENSEÑANZA-APRENDIZAJE DE HISTORIA DE LA ARQUITECTURALA INTEGRACIÓN DE APRENDIZAJES EN LA ENSEÑANZA DE LA PLANIFICACIÓN URBANA ARTICULADA A CONTEXTOS REALES. EVALUACIÓN DEL PROCESO PEDAGÓGICO EN LA FORMACIÓN DEL ARQUITECTO A TRAVÉS DE UN CASO DE ESTUDIO 
Home Page  

  • SciELO

  • Google
  • SciELO
  • Google


Arquitecturas del sur

 ISSN 0716-2677 ISSN 0719-6466

HERMANNY DE ALMEIDA, Renata; FARINA NOSSA, Damiany    BRUNORO THOME, Miguel. REPRESENTAÇÃO NO ENSINO DE PATRIMÔNIO. ABORDAGEM CONCEITUAL EMETODOLÓGICAAPLICADANO CAMPUSDE GOIABEIRAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO - BRASIL. Arquit. sur []. 2019, 37, 56, pp.84-99. ISSN 0716-2677.  http://dx.doi.org/10.22320/07196466.2019.37.056.06.

Esse artigo mostra os resultados de uma proposição conceitual e metodológica, aplicada em disciplina acadêmica, “Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural”, do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Brasil. Fomentada pela superação da dicotomia conservação-desenvolvimento e pelo alargamento conceitual do patrimônio à noção de patrimônio territorial, que identifica não apenas um patrimônio em escalas geográficas de maior abrangência, como sua lógica processual. Uma das problemáticasexpostasconsiste na segmentação da tríade temática Patrimônio-Ensino- Projeto. Para sua superação, e por meio de uma metodologia empírico-qualitativa, embasada na abordagem da Escola Territorialista Italiana, faz-se uma experiência de envolvimento proativo, na qual os discentes são estimulados a trabalhar a representação enquanto método de reconhecimento da arquitetura de valor patrimonial e de interpretação de área de preexistência crítica, o Campus Universitário de Goiabeiras da UFES. Divide-se em três etapas: a) análise, por intermédio de um pré-inventário, onde se identifica, classifica e categoriza os bens de valor do campus; b) síntese, onde os mapeamentos anteriores são postos em confronto e são identificadas camadas do patrimônio territorial (física, construída e antrópica), servindo de base à definição de unidades de paisagem, sob as quais se interpretam diacronicamente os valores e os recursos potenciais do patrimônio territorial; c) experiência projetual, fundamentada a partir de uma interpretação crítica. A experiência resulta na tomada de consciência da potência transformadora da representação do patrimônio territorial, não apenas enquanto documento, mas instrumento ativo de interpretação, reconhecimento e análise, potencializando ações projetuais integradas.

: Patrimônio; ensino; território; metodologia; planejamento territorial.

        · | |     ·     · ( pdf )