SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.27 número3INFLUÊNCIA DE DIFERENTES TURNOS DE REGA E DOSES DE HIDROABSORVENTE NO DESENVOLVIMENTO INICIAL DA CULTURA DO CAFÉ CONILLON (COFFEA CANEPHORA PIERRE)LÓGICA FUZZY NO MAPEAMENTO DE VARIÁVEIS INDICADORAS DE FERTILIDADE DO SOLO índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Idesia (Arica)

versión On-line ISSN 0718-3429

Idesia v.27 n.3 Arica dic. 2009

http://dx.doi.org/10.4067/S0718-34292009000300006 

Volumen 27, N° 3, Páginas 35-40 IDESIA (Chile) Septiembre - Diciembre 2009

INVESTIGACIONES

DESENVOLVIMENTO INICIAL DO CAFÉ CONILLON (COFFEA CANEPHORA PIERRE) EM SOLOS DE DIFERENTES TEXTURAS COM MUDAS PRODUZIDAS EN DIFERENTES SUBSTRATOS

INITIAL DEVELOPMENT OF CONILLON COFFEE (COFFEA CANEPHORA PIERRE) IN SOILS WITH DIFFERENT TEXTURES USING SEEDLINGS PRODUCED IN DIFFERENT SUBSTRATES

 

Heder Braun1; João Henrique Zonta2; Julião Soares de Souza Lima3; Edvaldo Fialho dos Reis4; Danilo Paulucio da Silva5

1 Universidade Federal de Viçosa, UFV, Viçosa - MG, Cep: 36570-000, e-mail: hederbraun@hotmail.com
2 Departamento de Engenharia Agrícola, Universidade Federal de Viçosa, UFV, Viçosa - MG, Cep: 36570-000, e-mail: joaozonta@hotmail.com
3 Departamento de Engenharia Rural, Centro de Ciências Agrarias da Universidade Federal do Espirito Santo, Alegre - ES, Cep 29500-000, e-mail: limajss@yahoo.com.br
4 Departamento de Engenharia Rural, Centro de Ciências Agrarias da Universidade Federal do Espirito Santo, Alegre - ES, Cep 29500-000, e-mail: edereis@cca.ufes.br
5 Departamento de Engenharia Agrícola, Universidade Federal de Viçosa, UFV, Viçosa - MG, Cep: 36570-000, e-mail: daniloagronomia@yahoo.com.br


RESUMO

Objetivou-se avaliar o desenvolvimento inicial do café comilón (Coffea canephora Pierre) em solos de diferentes texturas com mudas produzidas em diferentes substratos. O experimento foi realizado em casa de vegetação, localizada em Alegre-ES, utilizando mudas de café comilón (Coffea canephora Pierre). As mudas foram produzidas em tubetes contendo os seguintes substratos: Plantmax® + térra (proporção 1:1 v/v); substrato caseiro (térra misturada com estéreo bovino e areia na proporção de 1:1:1 v/v/v); Plantmax® e térra + palha de café (proporção 1:1 v/v). Após 140 dias, as mudas foram transplantadas para baldes de 10 L contendo dois tipos de solo: solo de testura argilo-arenosa e argilosa, constituindo um esquema fatorial 4x2, com substratos em 4 níveis e solo em 2 níveis, num delineamento inteiramente casualizado, com três repetições. Aos 150 dias pós-plantio, foram avaliados os seguintes parámetros agronómicos: altura das mudas, diâmetro do caule, diâmetro da copa, área foliar, massa fresca e seca da parte aérea e massa fresca e seca do sistema radicular. A interação que promoveu o melhor desenvolvimento inicial da cultura do café conillon se constitui em mudas produzidas em substrato comercial + térra, transplantas para solo de textura argilo-arenosa.

Palavras-chave: Coffea canephora Pierre, solo, substrato.


ABSTRACT

The objective of this work was to evaluate the initial development of conillon coffee (Coffea canephor a Pierre) in soils with different textures using seedlings produced in different substrates. The experiment was conducted in greenhouse, in the Municipal District of Alegre-Es, using seedlings of conillon coffee (Coffea canephor a Pierre). The seedlings were produced in plastic tubes containing the following substrates: Plantmax® + soil (1:1 v/v); homemade substrate (soil + bovine manure + sand 1:1:1 v/v/v); and Plantmax® (soil + coffee husk 1:1 v/v). After 140 days, the seedlings were transplanted to 10-L containers with two types of soil: sandy-clay and clay textures, in a 4X2 factorial arrangement (4 levels of substrate and 2 levels of soil), in a complete randomized design, with three repetitions. At 150 days post-planting, the following agronomic parameters were evaluated: seedling height, stem diameter, crown diameter, leaf area, fresh and dry mass of aerial part and fresh and dry mass of root system. The treatment comprising seedlings produced in commercial substrate + soil followed by transplanting to soil with sandy-clay texture provided the best initial development of carillon coffee.

Key words: Coffea canephora Pierre, soil, substrate.


INTRODUÇÃO

A produção de mudas de alta qualidade genética e fitossanitária constitui-se um requisito indispensável para alcangar elevadas produtividades na agricultura. Apesar de ser um entre varios fatores envolvidos na produção, as mudas devem ser produzidas dentro de padroes mínimos de qualidade para se obter sucesso no empreendimento.

Para a produção de mudas de cafeeiro, os sacos plásticos tém sido recomendados e sao os recipientes mais utilizados atualmente. Esses recipientes comportam um volume de substrato que permite a obtenção de mudas vigorosas e de qualidade adequada para o plantío. Por outro lado, contribuem para o aumento da área requerida para o viveiro e a elevação do custo de produção, de transporte e plantío da muda. Aliada a estes aspectos, há também a possibilidade de contaminação das mudas por nematóides em decorrência do substrato que é normalmente utilizado para o seu enchimento (Meló, 1999).

A produção de mudas de cafeeiro em tubetes, facilita sobremaneira o isolamento de viveiro, a proteção contra nematóides e outras doenças do solo, apresenta maior facilidade no controle de pragas e doenças da parte aérea e preserva a integridade do sistema radicular durante a fase inicial da produção da muda (Lima, 1986).

O sistema de produção de mudas em tubetes apresenta vantagens em relação ao sistema convencional, tais como: formação de sistema radicular sem enovelamento, crescimento inicial das mudas após o plantío mais rápido e facilidades operacionais a quantidade de mudas transportadas por caminhao é cinco a seis vezes maior, o peso é duas a duas vezes e meia menor e rendimento de plantío, até três vezes maior, quando comparado com o sistema convencional (Simões, 1987). Urna outra vantagem é a maior facilidade para o manejo das mudas no viveiro, incluindo adubações, pulverizações contra pragas e doenças e irrigações, urna vez que os tubetes ficam suspensos a certa altura do solo.

Substrato é a mistura de materiais usada no desenvolvimento de mudas, sustentando e for-necendo nutrientes a planta. Pode ser de origem vegetal, animal ou mineral, sendo constituido por urna parte sólida (partículas minerais e orgânicas) e pelo espago poroso, que é ocupado por agua ou ar. O desenvolvimento do sistema radicular é influênciado pela aeração do substrato, que depende da composição de suas partículas. O substrato exerce influência significativa sobre a arquitetura do sistema radicular e o estado nutridonal das plantas (Spurr & Barnes, 1973, citados por Guimarães et al, 1998). Campinhos Júnior & Ikemori (1983), Consideram inadequado o uso de materiais de origem mineral (argila e areia) para a produção de mudas em tubetes, em razao do peso e desagregação do substrato, e por nao serem esteréis.

Após o transplantio das mudas para o campo, um dos fatores de maior influência é o tipo de solo da área. Segundo Lynch (1995), a textura e estrutura de solo afetam o sistema radicular das plantas, que apresenta características diferenciadas de acordó com as características do solo.

Objetivou-se avaliar o desenvolvimento inicial do café conillon (Coffea canephora Pierre) em solos de diferentes texturas com mudas produzidas em diferentes substratos.

MATERIAIS E MÉTODOS

O experimento foi realizado em casa de vegetação, localizada no Centro de Ciências Agrarias da Universidade Federal do Espirito Santo, em Alegre - ES, latitude de 20° 45' 40,42" S e longitude 41° 32' 06,73" W e altitude de 247 metros.

Para a realização do experimento, foram utilizadas mudas de café conillon (Coffea canephora Pierre), produzidas a partir de estacas obtidas do tecido adulto de ramos ortotrópicos, sendo estas retiradas de lavouras combom aspecto fitossanitário e nutrid onal. Após a retirada dos ramos das plantas mae, estes foram encaminhados para a casa de vegetação, local onde foram eliminados 30 cm das extremidades dos ramos ortotrópicos. Em seguida foi realizado a padronização das estacas, com 6 a 8 cm de altura, folhas com 1/3 do limbo foliar, ramos plagiotrópicos e ácima da inserção do par de folha com 1 cm.

Após a obtenção das estacas, estas foram previamente enraizadas em caixas de areia e, transplantadas para tubetes de 14 cm de altura, 3,5 cm de diâmetro interno na abertura superior e 1,5 cm de diâmetro na abertura inferior da extremidade afunilada e possuem um volume aproximado de 120 mL (Meló, 1999), contendo os seguintes substratos: Plantmax® + térra (proporção 1:1 v/v); substrato caseiro (térra misturada com estéreo bovino e areia na proporção de 1:1:1 v/v/v); Plantmax® (mistura de materia orgânica de origem vegetal e vermiculita expandida); térra + palha de café (proporção 1:1 v/v). As mudas permaneceram por 140 dias nos tubetes, sendo então transplantadas para baldes de 10 litros, contendo solo de textura argilo-arenosa e argilosa, retirados de um barranco. Assim, o experimento foi montado em um esquema fatorial 4x2, sendo 4 niveis de substrato e 2 niveis de solo, com 3 repetiçðes, em delineamento inteiramente casualizado.


Previamente ao enchimento dos baldes, os solos foram destorroados e passados em peneira de 4 mm e homogeneizados. Foi realizada correção do solo e adubação de plantío, segundo recomendaçðes técnicas para a cultura do cafeeiro no Espirito Santo (Dadalto, 2001). Durante a condução do experimento, foram realizados irrigaçðes, manejo de pragas e doenças e controle de plantas daninhas de acordó com a necessidade da cultura.

Aos 150 dias pós-plantio, foram avallados os seguintes parámetros agronómicos: altura das mudas (cm): determinada com auxilio de régua graduada; diâmetro do caule (cm): determinado através de paquímetro; diâmetro da copa (cm): determinado com auxilio de régua graduada; área foliar (cm2): determinada com medidor LI-COR 3100; massa fresca da parte aérea e do sistema radicular (g): determinada através de pesagem individual de cada planta, com uso de balanca analítica com precição de 0,01g; massa seca da parte aérea e do sistema radicular (g): efetuando-se a secagem em estufa a 70°C e pesando-se em balança analítica até atingirem peso constante (AOAC, 1984);

Os dados obtidos foram submetidos a análise de variáncia, e os fatores significativos analisados pelo teste de Tukey a nivel de significancia de 5% de probabilidade.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Os valores de altura e diâmetro do caule das plantas de café conillon, com mudas produzidas em diferentes substratos e transplantadas em diferentes tipos de solo sao apresentados na Tabela 4.


As características altura e diâmetro do caule das plantas foram afetados pelo tipo de substrato, tipo de solo e pela interação entre esses fatores (Tabela 4). O substrato comercial + térra propor-cionou maior desenvolvimento das plantas em altura no solo de textura argilo-arenosa, mas nao diferindo estatisticamente do substrato caseiro. Cunha et al. (2002), citam que o melhor substrato a ser usado para produção de mudas de café em tubetes é o comercial, seguido do substrato alternativo composto a partir de estéreo bovino. No solo de textura argilosa o substrato contendo palha de café + térra foi o que proporcionou maior desenvolvimento para essa característica. Da mesma forma ocorreu para o diâmetro do caule das plantas que, tanto no solo de textura argilo-arenosa e argilosa, os substratos caseiro e palha de café + térra não apresentaram diferenças significativas entre si.

Os valores de diâmetro da copa e área foliar das plantas de café conillon, com mudas produzidas em diferentes substratos e transplantadas em diferentes tipos de solo são apresentados na Tabela 5.

Com relação ao diâmetro da copa, houve diferenca estatística dos substratos dentro do solo de textura argilo-arenosa, sendo o melhores resultados obtidos com as mudas produzidas em comercial + térra e caseiro (Tabela 5). Dentro do solo argiloso não houve diferença estatística entre os substratos. Podemos observar que as duas texturas de solo, associadas aos substratos, apresentaram diferença estatística apenas para o substrato palha de café + térra.


Para área foliar, houve diferença estatística dos substratos dentro das duas texturas de solo, sendo o substrato comercial + térra e o caseiro os que apresentaram os melhores resultados. Andrade Neto (1998), trabalhando com dois tipos de adu-bação e diferentes fontes de materia orgânica, constatou que o estéreo de curral na proporção de 80% adubado com o fertilizante de liberação lenta (osmocote) foi o que apresentou os maiores valores para as características altura da planta, área foliar e materias secas do sistema radicular e parte aérea. Ainda, segundo o mesmo autor, estes substratos promoveram os mesmos resultados que o substrato comercial fertilizado.

Analisando os diferentes substratos, as duas texturas de solo apresentaram diferenca entre si, com o solo de textura argilo-arenosa tendo o melhor desempenho (Tabela 5).

Os valores de massa fresca e seca da parte aérea das plantas de café conillon, com mudas produzidas em diferentes substratos e transplantadas em diferentes tipos de solo sao apresentados na Tabela 6.


Houve diferenca estatística da massa fresca e seca da parte aérea, quando comparados os substratos ao nivel das texturas do solo (Tabela 6). No solo de textura argilo-arenosa, os melhores resultados tanto para massa fresca quanto para massa seca da parte aérea foram obtidos com uso dos substratos comercial + térra e caseiro. No solo de textura argilosa, os melhores resultados tanto para massa fresca quanto para massa seca da parte aérea foram obtidos com uso do substrato palha de café + térra.

Quando comparadas as duas texturas de solo ao nivel dos substratos, podemos observar que ocorreu diferenca estatística tanto para massa fresca quanto para massa seca da parte aérea (Tabela 6). Para massa fresca da parte aérea, o solo de textura argilo-arenosa obteve resultados superiores para todos os substratos. Para massa seca da parte aérea o solo de textura argilo-arenosa obteve resultados superiores, exceto para o substrato palha de café + térra, no qual o solo de textura argilosa mostrou-se superior.

Os valores de massa fresca e seca o sistema radicular das plantas de café comilón, com mudas produzidas em diferentes substratos e transplantadas em diferentes tipos de solo sao apresentados na Tabela 6.

Houve diferença estatística da massa fresca e seca do sistema radicular, quando comparados os substratos ao nivel da textura do solo e também quando comparadas as duas texturas do solo ao nivel dos substratos (Tabela 7). O solo de textura argilo-arenosa apresentou melhor desempenho tanto para massa fresca quanto para massa seca do sistema radicular em todos os tipos de substratos. Este resultado pode ser atribuido a urna possivel compactação ocorrida no solo de textura argilosa, proporcionando urna condição inadequada para o desenvolvimento radicular, corroborando com a afirmação de Lynch (1995), na qual o sistema radicular das plantas apresenta características diferenciadas de acordó com textura do solo. Este resultado é de suma importancia, pois a quantidade de raizes demonstra a capacidade de absorção de agua e de nutrientes pela planta (Guimarães et al., 1996).


O substrato comercial + térra apresentou melhores resultados tanto para massa fresca quanto para massa seca do sistema radicular em ambos os solos.

CONCLUSÂO

A interação que promoveu o melhor desenvolvimento inicial da cultura do café conillon se constitui em mudas produzidas em substrato comercial + térra, transplantas para solo de textura argilo-arenosa.

 

REFERÊNCIAS

ANDRADE NETO, A. DE 1998. Avaliação de substratos alternativos e tipos de adubação para a produção de mudas de cafeeiro (Coffea arábica L.) em tubetes. 65 p. Dissertação (Mestrado em Fitotecnia) - Universidade Federal de Lavras, Lavras.        [ Links ]

ASSOCIATION OF OFFICIAL AGRICULTURAL CHEMISTS (Washington, DC) 1984. Official methods of analysis. 9. ed. Washington, DC: AOAC 832 p.        [ Links ]

CAMPINHOS JÚNIOR, E.; IKEMORI, Y.K. 1983. Introdução de nova técnica na produção de mudas de esséncias florestais. Silvicultura, São Paulo, v. 8, n. 28, p. 226-228.        [ Links ]

CUNHA, R.L.DA; SOUZA, C.A.S.; NETO, A.A.; MELÓ, B.; CORREA, J.F. 2002. Avaliação de substratos e tamanhos de recipientes na formação de mudas de cafeeiros (coffea arábica 1.) em tubetes. Ciência Agrotécnica, Lavras, v. 26, n. 1, p. 7-12.        [ Links ]

DADALTO, G.G.; FULLIN, EA. 2001. Manual de recomendação de calagem e adubação para o Estado do Espirito Santo - 4ª aproximação. Vitoria, ES: SEEA/INCAPER 266 p.        [ Links ]

GUIMARÃES, C.M.; BRUNINI, O.; STONE, L.F. 1996. Adaptação do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) a seca. 1. Densidade e eficiência radicular. Pesquisa Agropecuaria Brasileira, v. 31, p. 393-399.         [ Links ]

GUIMARÃES, P.T.G.; ANDRADE NETO, A.; BELLINI JÚNIOR, O.; ADÃO, W.A.; SILVA, E.M. 1998. A produção de mudas de cafeeiros em tubetes. Informe Agropecuario, Belo Horizonte, v. 19, n. 193, p. 98-109.         [ Links ]

LIMA, J.E.O. DE. 1986. Novas técnicas de produção de mudas cítricas. Laranja, Cordeirópolis, v.2, n.7, p. 463-468.         [ Links ]

LYNCH, L. 1995. Root architecture and plant productivity. Plant Physiology, v. 109, p. 7-13.         [ Links ]

MELO, B. DE. 1999. Estudos sobre produção de mudas de cafeeiros (Coffea arábica L.) em tubetes. 119 p. Tese (Doutorado em Fitotecnia) - Universidade Federal de Lavras, Lavras.         [ Links ]

SIMÕES, J.W. 1987. Problemática da produção de mudas em esséncias florestais. Piracicaba: IPEF, 29 p. (EPAGRI. Boletim técnico 73).        [ Links ]

 

Fecha de Recepción: 12 Septiembre 2007 Fecha de Aceptación: 07 Enero 2008

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons